quarta-feira, 25 de maio de 2011

O KIT ANTI-HOMOFOBIA FOI SUSPENSO POR PRESSÃO DA BANCADA CRISTÃ



Antes tarde do que nunca', diz Bolsonaro sobre suspensão de kit

O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) disse nesta quarta-feira que a presidente Dilma Rousseff merece ser cumprimentada pela decisão de suspender a produção e distribuição de um kit anti-homofobia oficialmente nas escolas públicas. "Eu devo cumprimentar a presidente Dilma. Antes tarde do que nunca. Com essa decisão, foi vetado que as escolas fossem inundadas com um material que não ia combater a homofobia, mas sim estimular o homossexualismo".
O parlamentar afirmou ainda que o combate ao kit vai continuar. "Esse é um típico projeto que o governo não vai apontar, vai guardar na gaveta e pode voltar em algum momento".
Bolsonaro quer que o Tribunal de Contas da União faça uma auditoria dos recursos que tenham sido empregados na elaboração do kit. Acrescentou que também devem continuar as críticas a propostas relacionadas a cotas voltadas ao público LGBT em escolas, para alunos e professores. Ele busca ainda, assinaturas para apresentar uma proposta de emenda à Constituição proibindo o casamento entre pessoas do mesmo sexo e a adoção de crianças por casais homossexuais.
O deputado rebateu a crítica de que a presidente Dilma teria cedido a "chantagem" ao decidir pela suspensão do kit. "Se essa é a arma que temos para atingir nosso objetivo, que é legítimo, é isso o que vamos fazer, vamos pressionar".
Ao anunciar a suspensão do kit, o ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência da República, afirmou que o combate à homofobia no ambiente escolar deve continuar, mas que a produção dos materiais precisa levar em conta a participação de todos os setores da educação, dos parlamentares e uma maior discussão com a sociedade. Ele negou que a decisão tenha sido motivada pela pressão das bancadas.

Wyllys: acreditava que só uma mulher garantiria direitos aos LGBTs

Em nota divulgada na tarde desta quarta-feira, o deputado federal Jean Wyllys (Psol-RJ) criticou a decisão do governo de suspender a produção e distribuição de um kit anti-homofobia oficialmente nas escolas públicas. Para o parlamentar, a presidente Dilma Rousseff cedeu a "chantagens" e por isso, deve reconsiderar a decisão. "Tenho esperança de que a presidenta volte atrás, afinal, votei nela porque acreditava que só uma mulher poderia estender a cidadania aos LGBTs e mulheres em geral", diz a nota.
Nesta quarta-feira, o secretário-geral da Presidência, ministro Gilberto Carvalho, anunciou que a produção dos materiais pelo Ministério da Educação (MEC) precisa levar em conta uma maior participação dos parlamentares e da sociedade. O ministro negou que a decisão de suspender o kit anti-homofobia foi motivada pela pressão das bancadas religiosas, mas o deputado Anthony Garotinho (PR-RJ) afirmou que, caso o governo não desistisse da distribuição do material, a bancada iria utilizar as denúncias contra o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, como "moeda de troca".
Wyllys afirma que Dilma "pagou" a fatura do "apoio" recebido dos "representantes do fundamentalismo religioso no Congresso" durante a campanha eleitoral. "O preço por terem 'barrado' a campanha subterrânea de difamação a então candidata é a suspensão do Escola Sem Homofobia. E Dilma pagou".
Ele acrescentou que, se a presidente optar por "ceder à chantagem dos inimigos da cidadania plena fazendo de seu mandato um lamentável estelionato eleitoral", a comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais) não deverá votar no governo.
"Onde está a "defesa intransigente dos Direitos Humanos" que a senhora (presidente) prometeu quando levou sua mensagem ao Congresso? Não basta ser sensível à violação de Direitos Humanos em terras estrangeiras, essa proteção precisa ser feita, antes, aqui", cobrou.
A nota cita ainda os assassinatos a homossexuais e diz que os crimes estão ligados a discursos de ódio. "A comunidade LGBT e pessoas de bom senso esperavam da presidenta, um pouco mais de sensibilidade a esses dados, além de um mínimo de espírito republicano e vontade de proteger a todos e todas".
FONTE: Terra notícias

segunda-feira, 9 de maio de 2011

RUMORES SOBRE "FUTURA LEGALIZAÇÃO DA PEDOFÍLIA NO BRASIL" VOLTA A CENA

Após o Supremo Tribunal Federal dar pareer favorável à união estável entre pessoas do mesmo sexo. A Polêmica sobre "a futura legalização da pedofilia" está mais uma vez tomando conta do cenário Brasileiro.
 Veja as notícias abaixo:
O deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) ironizou nesta quinta-feira a decisão do Supremo Tribunal Federal favorável à união estável homossexual. "Agora virou bagunça. O próximo passo vai ser a adoção de crianças (por casais homossexuais) e a legalização da pedofilia", disse.
No final de março, Bolsonaro se envolveu em uma polêmica após proferir frases supostamente racistas e homofóbicas durante o programa CQC, da TV Bandeirantes. Em outra ocasião, o político disse estar "se lixando" para o movimento gay.
Hoje, o parlamentar reforçou sua posição contrária a casais homossexuais terem filhos dizendo que a criança "vai ver a mãe crescer usando cueca e o pai usando calcinha" e que depois disso vai ter "passeata gay mirim". Bolsonaro afirmou ainda que o Supremo extrapola sua competência ao julgar um tema já previsto na Constituição, que reconhece a união estável entre homem e mulher como entidade familiar para efeito da proteção do Estado.
O argumento também foi usado por um dos filhos do deputado, Flávio Bolsonaro, deputado estadual pelo mesmo partido, em seu microblog. Segundo ele, "cabe ao Congresso Nacional e não ao STF criar direitos".
Outro filho do parlamentar Carlos Bolsonaro, vereador no Rio de Janeiro, publicou várias mensagens sobre o julgamento em sua conta na rede de microblogs Twitter. "Não concordar com o estímulo ao homossexualismo é ser ignorante?", questionou. "Então p/ ser inteligente é preciso ser gay? Isso é heterofobia!"(sic).

                                      STF DECIDE A FAVOR DE UNIÃO GAY
Por unanimidade, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu no dia 5 de maio de 2011 pelo reconhecimento de união estável entre pessoas do mesmo sexo. Todos os dez ministros aptos a votar foram favoráveis a estender a parceiros homossexuais direitos hoje previstos a casais heterossexuais - o ministro Dias Toffoli se declarou impedido de participar porque atuou como advogado-geral da União no caso e deu, no passado, parecer sobre o processo.
Com o julgamento, os magistrados abriram espaço para o direito a gays em união estável de terem acesso a herança e pensões alimentícia ou por morte, além do aval de tornarem-se dependentes em planos de saúde e de previdência. Após a decisão, os cartórios não deverão se recusar, por exemplo, a registrar um contrato de união estável homoafetiva, sob pena de serem acionados judicialmente. Itens como casamentos civis entre gays ou o direito de registro de ambos os parceiros no documento de adoção de uma criança, porém, não foram atestados pelo plenário.

POR CLAUDIA ANDRADE
Fonte: Terra notícias

“Aprovar o PLC 122 é legalizar a pedofilia”, diz Magno Malta

1 MARÇO 2011 NENHUM COMENTÁRIO
O senador Magno Malta (PR-ES) deu uma entrevista ao portal IG e, como de praxe, voltou a atacar o PLC 122. Malta chegou a afirmar que se a lei for aprovada é como “legalizar a pedofilia e o sadomasoquismo”. Malta voltou a dizer que o PLC 122, que criminaliza a homofobia, será novamente arquivado. Vale lembrar que Magno Malta, ao lado do senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), foi forte opositor do PLC na legislatura passada e conseguiu emperrar o projeto.
O parlamentar, que faz parte da Frente Evangélica, disse que a Constituição já garante a defesa aos cidadãos e também disse que a lei é inconstitucional. “Se aprovarmos um projeto desses, de você ser criminoso por não aceitar a opção sexual de alguém, é como se você estivesse legalizando a pedofilia, o sadomasoquismo e a bestialidade”, afirmou.
HÁ ANOS CIRCULA NA REDE ARTIGOS E COMENTÁRIOS SOBRE O INTERESSE DE LEGALIZAR PEDOFÍLIA NO BRASIL...
O artigo abaixo "atribuído" a Luiz Mott circula até hoje na internet... o site e os links existiam de fato, mas, com a repercussão negativa tiveram conteúdo removido... exceto este aí da Isto é, Gente
www.terra.com.br/istoegente/43/reportagens/rep_gays.htm
Luiz Mott é decano do Movimento Homossexual no Brasil; fundador do Grupo Gay da Bahia; autor de um artigo satânico em que afirma que Jesus era um sodomita ativo e o evangelista São João, seu amante favorito. http://www.gaybrasil.com.br/mott.asp?Categoria=Artigos&Codigo=256
Professor Titular do Departamento de Antropologia da UFBa; membro da Comissão Nacional de Aids do Ministério da Saúde - CNAIDS e do Conselho Nacional de Combate à Discriminação do Ministério da Justiça, agraciado com o grau de Comendador da Ordem do Rio Branco pelo presidente FHC. http://colunafactorama.blogspot.com/2006_10_01_archive.html
Luiz Mott é mentor e principal articulador do Projeto de Lei 122/2006, a chamada Lei Anti-Homofobia, aguardando aprovação pelo Senado, e de inúmeras leis semelhantes que estão sendo votadas e aprovadas nos estados e municípios da União, sem alarde: "Já há quase 80 municípios que proíbem a discriminação contra os homossexuais. Em São Paulo, além a capital, Cabreúva e São Bernardo do Campo. Lutamos para que seja incluída na Constituição Federal a proibição de discriminar por “orientação sexual", como acontece na Constituição da África do Sul" - http://br.geocities.com/luizmottbr/entrev13.html 
Eu não sabia que pedófilos agora chamam carinhosamente a si mesmos de "homens que amam meninos". À repulsa que experimentamos ante a possibilidade de crianças serem atraídas, seduzidas e usadas sexualmente por adultos, eles chamam jocosamente de 'pânico moral' ou de 'histeria da opinião pública'. O Doutor Luiz Mott provê adiante uma amostra exemplar da idéia que eles fazem de 'amor'.
Luiz Mott, por ele mesmo:
"Meu nome é Luiz Roberto de Barros Mott. Nasci em 6 de maio de 1946".
"Eu fui casado cinco anos, tenho duas filhas e sou bichona”. www.terra.com.br/istoegente/43/reportagens/rep_gays.htm
"No seminário, tanto quanto no noviciado, fui um adolescente marcado pela espiritualidade... Realmente vivia o dia todo pensando em Deus"...
"Ainda tinha um pouco de preocupação cristã na faculdade, mas... Com a Leitura de A Ideologia Alemã... e depois estudando antropologia, me dei conta que as minhas verdades absolutas, em termos de cristianismo, eram relativas"...
"Como sentia atração homoerótica ... fui vendo como o cristianismo era intolerante, repressor e equivocado em relação a isso. Neste sentido, o materialismo histórico poderia ... resolver as minhas angústias existenciais".
"Com o tempo deixei de acreditar em Deus". "Portanto, deixei de ter qualquer tipo de consciência pesada, no que refere a essa forma de relação".
"Casualmente, encontrei um rapaz numa dessas aventuras noturnas... Na época, eu devia ter uns trinta anos e ele uns dezoito ou dezenove. Este foi um grande encontro! ...
"Queria estar apenas com ele, realmente mudar de vida e assumir-me exclusivamente homossexual. Isso após cinco anos de um casamento tranqüilo. Foi um processo extremamente traumático. Na época, minha mulher estava fazendo o mestrado ... Ela reagiu negativamente... Isso causou um trauma familiar enorme".
"Minha ex-mulher mudou para sua cidade natal... Fiquei em Campinas, morando com ele... numa outra casa que comprei. Após um ano de felicidades, notamos que éramos muito diferentes e resolvemos nos separar".
"Campinas se tornou muito pequena para mim... muito familista. Há muito tempo possuía uma fantasia de viver no nordeste... na Bahia. Era o lugar do Brasil onde me sentia mais desejado sexualmente. Ao mesmo tempo, onde encontrava os parceiros que mais preenchiam minhas fantasias sexuais... sempre gostei de negros".
"hoje, após 30 anos de separação, não arrependo um só minuto desta decisão. Para mim, a homossexualidade foi uma graça!
"Nos últimos 36 anos de prática homoerótica, calculei que devo ter transado mais ou menos com uns 500 homens diferentes".
Mas... “para dizer a verdade, se pudesse escolher livremente, o que eu queria mesmo não era um "homem" e sim um meninão. Um "efebo" do tipo daqueles que os nobres da Grécia antiga diziam que era a coisa mais fofa e gostosa para se amar e... Queria mesmo um moleque no frescor da juventude, malhadinho, com a voz esganiçada de adolescente em formação. De preferência inexperiente de sexo, melhor ainda se fosse completamente virgem e que descobrisse nos meus braços o gosto inebriante do erostimo... Que acordasse de manhã com um sorriso lindo, me chamando de painho... contente de ser minha cara metade. Quero um moleque fogoso... Sem pudor, sem tabu. Ah, meu menino lindo! Se você existir, se você algum dia me aparecer, que seja logo, pois quero...” Meu Moleque Ideal http://br.geocities.com/luizmottbr/cronica6.html
Se as minhas pesquisas acadêmicas provam e os meus dados científicos mostram que...
"uma educação diferenciada... poderá fazer desabrochar em todo o menino, o seu lado feminino e em toda menina, o seu lado masculino. Afinal, as crianças nascem para serem felizes...".
No útero o bebê já tem ereção e a libido infantil é aceita por todos, logo... As leis devem ser mudadas para que crianças e adolescentes sejam totalmente livres, até para escolher um adulto como parceiro afetivo e sexual .
Afinal...
"Estudos comprovam que ainda no útero o bebê já tem ereção e a teoria de Freud sobre a libido infantil hoje é aceita por todos... O princípio secularmente imposto pelo cristianismo de que o sexo só é permitido após a bênção nupcial, fere um direito humano fundamental, inclusive dos jovens e adolescentes: o direito ao exercício de sua sexualidade e respeito à sua livre orientação sexual. Direito inclusive que têm os jovens em escolher eventualmente um adulto como seu parceiro afetivo e sexual"...
“que nossas leis sejam mudadas e sobretudo, que se mudem as mentalidades (...) daqueles que, sob a desculpa de proteger a inocência dos mais jovens, negam o direito inalienável das crianças e adolescentes de terem respeitadas sua livre orientação sexual e sua liberdade sexual”.
O que foi bom para bárbaros e gregos deve ser melhor ainda para crianças e adolescentes brasileiros.
Inseminação aos primeiros sinais de puberdade com penetração anal por três anos e sexo oral praticado por meninos nos homens e rapazes mais velhos...
"Estudos antropológicos", acerca do comportamento das tribos em Papua (Nova Guiné) e nas ilhas da Melanésia, fornecem dados que evidenciam a atividade homoerótica, com graus de diferenciação, mas pautadas num mesmo princípio: de modo geral, acreditava-se que os meninos não produziam seu esperma naturalmente, daí, surgia a necessidade de inseminá-los aos primeiros sinais de puberdade,
num processo de transição da infância para vida adulta".
"Ao término da infância, todo menino era separado da mãe e retirado da casa das mulheres para dormir na casa dos homens, cabia ao tio materno a penetração anal, pelo período aproximado de três anos, assim, o esperma seria fornecido à criança, juntamente com suas propriedades de força e coragem necessárias à vida adulta".
Para os Sambia, que viviam no interior da selva de Papua, o ritual de iniciação tinha um caráter processual: a inseminação ocorria pelo sexo oral, em que, num primeiro estágio, os meninos praticavam nos homens e rapazes mais velhos. Gradualmente, havia uma inversão dos papéis, em que o menino passava ensinar a felação aos iniciados. Ao atingir a maturidade sexual, era realizada uma cerimônia, na qual, já adulto, o menino era incorporado ao grupo dos homens e tornava-se caçador".
"Na Nova Guiné, entre os baruia, o sexo oral entre os homens de diferentes gerações e status é uma regra social e culturalmente aceita: nesse grupo cultural existe a crença de que a energia vital é transmitida pelo esperma, assim, os homens mais novos e as mulheres devem ser alimentados pelos homens mais velhos com essa energia".
Grécia Antiga - "entre os atenienses, apenas os homens eram considerados cidadãos e tinham, portanto, direito e acesso ao conhecimento. Era comum e legítimo o relacionamento sexual entre o professor e o aluno, considerado o relacionamento amoroso mais sublime entre dois homens".
 "No Candomblé a sexualidade é entendida como um processo de troca de energias (“axé”) e para lidar com as divindades é preciso estar cheio dessa energia. Desta forma, em determinados períodos rituais, o ato sexual é proibido sem haver, contudo, interdições referentes à homossexualidade ou à bissexualidade, que são reconhecidas como formas legítimas de vivenciar a sexualidade humana".
Fonte: Guia de Prevenção das DST/Aids e Cidadania para Homossexuais
Organizadora: Lilia Rossi Ministério da Saúde Secretaria de Políticas de Saúde
Coordenação Nacional de DST e Aids Setembro 2002
(Caramba, Retiraram do ar)
LEIA NA FONTE
 Professor e militante LGBT Luiz Mott está sofrendo ataques por religiosos na internet
quinta-feira, abril 8, 2010, 10:35

Nesta reportagem o Professor se defende das acusações e relata que está sendo usado como pode expiatório por lideres religiosos para atingirem a militância LGBT e seus direitos

luiz_mott_1
O professor de Antropologia aposentado da Universidade Federal da Bahia e um dos principais militantes LGBT do país Luiz Mott, 62, que há 30 anos luta pelos direitos humanos, vem sendo atacado por religiosos fundamentalistas. Mott foi Fundador do Grupo Gay da Bahia, do Centro Baiano Anti-Aids, do Grupo Lésbico e Associação de Travestis de Salvador, foi co-fundador da ABGLT, Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transexuais.
Por mais de uma década membro da Comissão Nacional de Aids do Ministério da Saúde, do Conselho Nacional de Combate à Discriminação e atualmente participa do Grupo de Trabalho da Diversidade do Ministério da Cultura e recebeu duas Comendas do Governo Federal e diversos prêmios de Direitos Humanos, nacionais e internacionais.
Segundo o Professor e Militante Mott, devido ao seu combate contra a homofobia e crimes contra homossexuais, religiosos vem inflamando ataques contra sua idoneidade. “Minha militância incansável na luta pelos direitos humanos, sobretudo denunciando os freqüentes assassinatos de homossexuais e apontando a responsabilidade e culpa das Igrejas Católica e Evangélica no incremento da homofobia no Brasil, provocou violenta reação por parte de alguns religiosos fundamentalistas”, relata.
Nos últimos meses, quatro evangélicos e um católico iniciaram criminosa cruzada na internet contra o Prof. Luiz Mott, Decano do Movimento Homossexual Brasileiro, acusando-me de fazer apologia da pedofilia. Adulterando trechos de meus artigos e entrevistas, manipulando imagens inofensivas descontextualizadas, e, sobretudo, destilando cruel preconceito anti-homossexual, no fundo, tais caluniadores têm como alvo impedir que o Congresso Nacional aprove leis que garantam a cidadania plena à comunidade LGBT, equiparando a homofobia ao crime de racismo”, comenta o militante. 
O Militante Luiz Mott está sendo usado como bode expiatório, segundo suas declarações os ataques tem como alvo o Movimento LGBT, já que se trata de ser umas das personalidades respeitadas em nível nacional e internacionalmente, tanto no meio acadêmico quanto na arena dos defensores dos direitos humanos.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

RONALDO E JOANA - POR ARISTÓBULO LIMA ( GRUPO CN AGITOS RN)


Joana e Ronaldo - Por Aristóbulo LIma

Fonte do da notícia : http://passadocontinuo.blogspot.com/

Nestes dias em que a regra é sempre o “primeiro eu, o resto que se exploda”, onde o egoísmo e a ganância imperam e o cruel jogo da sobrevivência nos impele a passar por cima uns dos outros em nome do êxito e riqueza pessoal, é difícil crer que ainda possa existir um altruísmo autêntico e verdadeiro.
Também pudera, tantos e tantos casos de pseudo-filantropos que se aproveitam da generosidade alheia e até de fundos governamentais para locupletar os próprios bolsos nos fazem ficar“cabreiro” ante qualquer demonstração do que será algo verdadeiramente pensado para o próximo.
Mas não podemos perder a esperança e SIM o verdadeiro trabalho altruísta, pensado, gerido e voltado para o próximo, para os menos validos na vida, em detrimento do enriquecimento pessoal, existe e pode ser encontrado bem perto da gente.
Dois estados tão distintos e tão distantes um do outro neste nosso continental país. Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte, o Brasil se encontra na solidariedade, através da ação de um jovem casal, ele, um gaucho, Ronaldo Henzel, ela uma potiguar, currais-novense por sinal, Joana Darc, a primeira vista um casal como outro qualquer, gente de classe média, poderia se passar por um casal de profissionais liberais, comerciantes, funcionários públicos etc., mas não, eles exercem um dos mais nobres trabalhos filantrópicos, através da ONG Pão é Vida.
Quem não conhece o trabalho da ONG (Organização Não-Governamental) Pão é Vida, deveria conhecer. *Eles escolheram como meio de vida desenvolver uma ação de inclusão social, fundado no trabalho voluntário e sem qualquer vinculação com órgãos públicos instituições ou igrejas, dentro de um velho ônibus Marcopolo II, eles peregrinam entre cidades do alto sertão de Pernambuco e Alagoas, uma das regiões mais sensíveis, para não dizer miseráveis, do país, levando muito além de um assistencialismo barato, mas sim profissionalização, capacitação profissional, oficina de leitura, assistência médica, tudo isto sem custo algum às comunidades.
Atualmente eles estão baseados na cidade de Santa Cruz do Capibaribe, Pernambuco, cidade conhecida não só pelas suas confecções, mas também pela sua incomum violência urbana.
É fácil criticar o estado por não estar presente nas comunidades mais desvalidas do país o difícil é arregaçar as mangas e buscar preencher os espaços vazios deixados por este estado ausente. E isto Ronaldo e Joana fazem.
Nesse mundo em que a ascensão social e o enriquecimento, ou tentativa de enriquecimento, a todo custo são uma regra, uma maldita regra que se impele passar uns por cima dos outros, lagar tudo, todas as regras deste jogo infame chega a beirar as fronteiras do absurdo. Absurdo?! Absurdo seria não pensar no próximo.

* Observação: Ao fundar a ONG Pão é Vida de fato, não havia nenhuma instituição governamental ou eclesiástica comprometida em nós ajudar financeiramente, foi assim que tudo começou; com amor, fé e coragem
Hoje como Pastor Batista, Ronaldo está a frente da PIB S.C.C, no entanto, continua dependendo de contribuições voluntárias para realizar o trabalho da ONG Pão é Vida

quinta-feira, 5 de maio de 2011

SUPREMO RECONHECE UNIÃO ESTÁVEL DE HOMOSSEXUAIS


Supremo reconhece união estável de homossexuais

Casais gays podem ter assegurados direitos, como pensão e herança.
Em decisão unânime, ministros do STF defenderam os direitos de gays.
Débora Santos
Do G1, em Brasília

Os ministros Ayres Britto (dir), relator das ações
sobre união homossexual, e Ricardo Lewandowski
durante julgamento no Supremo (Foto: Dida
Sampaio / Agência Estado)
O Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu, por unanimidade, nesta quinta-feira (5) a união estável entre casais do mesmo sexo como entidade familiar. Na prática, as regras que valem para relações estáveis entre homens e mulheres serão aplicadas aos casais gays. Com a mudança, o Supremo cria um precedente que pode ser seguido pelas outras instâncias da Justiça e pela administração pública.
O presidente do Supremo, ministro Cezar Peluso, concluiu a votação pedindo ao Congresso Nacional que regulamente as consequência da decisão do STF por meio de uma lei. “O Poder Legislativo, a partir de hoje, tem que se expor e regulamentar as situações em que a aplicação da decisão da Corte seja justificada. Há, portanto, uma convocação que a decisão da Corte implica em relação ao Poder Legislativo para que assuma essa tarefa para a qual parece que até agora não se sentiu muito propensa a exercer”, afirmou Peluso.
saiba mais
Maioria dos ministros do STF reconhece união homossexual
Censo 2010 contabiliza mais de 60 mil casais homossexuais
De acordo com o Censo Demográfico 2010, o país tem mais de 60 mil casais homossexuais, que podem ter assegurados direitos como herança, comunhão parcial de bens, pensão alimentícia e previdenciária, licença médica, inclusão do companheiro como dependente em planos de saúde, entre outros benefícios.
Em mais de dez horas de sessão, os ministros se revezaram na defesa do direito dos homossexuais à igualdade no tratamento dado pelo estado aos seus relacionamentos afetivos. O julgamento foi iniciado nesta quarta-feira (4) para analisar duas ações sobre o tema propostas pela Procuradoria-Geral da República e pelo governo do estado do Rio de Janeiro.
Em seu voto, o ministro Ayres Britto, relator do caso, foi além dos pedidos feitos nas ações que pretendiam reconhecer a união estável homoafetiva. Baseada nesse voto, a decisão do Supremo sobre o reconhecimento da relação entre pessoas do mesmo sexo pode viabilizar inclusive o casamento civil entre gays, que é direito garantido a casais em união estável.
A diferença é que a união estável acontece sem formalidades, de forma natural, a partir da convivência do casal, e o casamento civil é um contrato jurídico formal estabelecido entre suas pessoas.
A lei, que estabelece normas para as uniões estáveis entre homens e mulheres, destaca entre os direitos e deveres do casal o respeito e a consideração mútuos, além da assistência moral e material recíproca.

Após maioria dos ministros do STF aprovarem o reconhecimento da união homoafetiva, o Pastor Silas Malafaia iniciou um forte ataque a vários famosos cantores gospel famosos. O Pastor criticou os também pastores André Valadão, Aline Barros e Fernanda Brum por não republicarem em seus perfís no Twitter suas campanha contra o 
julgamento do STF.
Silas Malafaia iniciou uma campanha esta semana para que fiéis enviassem emails Aos Ministros do STF afim de que eles não julgassem procedente as ações que visavam dar direitos civis e reconhecimento a união gay como entidade familiar. Nesta quarta última, 4 de maio, o Pastor pediu por intermédio de seu Twitter que os cantores republicassem suas mensagens para seus seguidores na rede social. Até o fechamento desta matéria Ana Paula Valadão possuia 180 mil seguidores, André Valadão 207 mil, Fernanda Brum 150 mil e Aline Barros 247 mil.
Como nenhum dos cantores respondeu a mensagem pública, o Pastor Silas iniciou um ataque com fortes críticas aos famosos após os ministros votarem a favor da união gay: “Obrigado pela omissão de vocês em não [dar] RT (ato republicar uma mensagem, na linguagem do Twitter) para conclamar o povo de Deus a pressionar os ministros do STF num assunto tão fundamental que favorece os homossexuais. Se Twitter é para mostrar fotos e agenda é melhor acabar porque não presta pra nada”, enviou para todos os cantores, e completou: “Vamos usar o Twitter para algo proveitoso no Reino de Deus, e não para futilidades”.
O debate se tornou mais acalarado quando a Pastora Ana Paula Valadão respondeu a crítica, sem citar nomes, afirmando que devemos buscar é conseguir almas para Deus, porque “se as pessoas temerem a Deus não abortarão seus bebês, ainda que haja uma lei a favor do aborto”, disse em relação a legalização da união civil. Confira o relato completo:
“Tive a tristeza de ler alguns twitts que citam meu nome com acusações e julgamentos. É verdade, cada um dará contas de si mesmo a Deus, e de cada palavra que proferimos. Lamento por algumas partes do Corpo de Cristo que se acham no direito de acusar outros por não agirem como eles sentem que Deus os chamou para agir. Eu só posso dizer o q eu sinto q Deus quer que eu diga.
Avivamento, a volta de uma pessoa ou de uma nação para Deus e Seus princípios, a meu ver não é algo que aconteça de cima para baixo. Podem haver leis proibindo isso ou aquilo e as pessoas continuarem na prática de pecado. Creio que o avivamento vem de baixo para cima e a mudança ou estabelecimento de leis segundo os padrões de Deus serão consequência do que se passa numa sociedade em avivamento, que quer Deus mais do que querer mudança ou impedimento de legislação. De cima para baixo.
Clamo por mudança do coração das gentes, da nação, de baixo para cima. Por exemplo: se as pessoas temerem a Deus não abortarão seus bebês, ainda que haja uma lei a favor do aborto. Oro pelo o avivamento espiritual no Brasil. Se isso resultar em leis segundo Deus, amém. Se não, tudo bem, porque pessoas temerão Deus de qualquer maneira.”
Protamente o Pastor Silas Malafaia respondeu com novas críticas: “Quando é para defender seu nome, responde rapidamente. Quando é para defender o Reino de Deus, diz que está viajando” e completou “Tem gente que perde a oportunidade de ficar calada. Mais povo de Deus tem de aprender que tem horas para orar e horas para
agir”. Apesar da Pastora não querer falar mais sobre o assunto, o líder da Igreja Vitória em Cristo continuou criticando a opinião da pastora: “Gostaria de argumentar que o avivamento só existe com atitudes do povo d Deus (…) Avivamento não eh uma acao sobrenatural de Deus independente da nossa acao (…) O povo de Deus não pode se omitir e deixar para Deus aquilo q eh da nossa competencia”, disse o televangelista em algumas mensagens.
O Pastor encerrou afirmando que irá “continuar amando a irmã Ana Paula Valadão. Sei que ela é serva de Deus. Mas sei que ela está terrivelmente equivocada nos seus conceitos” e completou: “Ana Paula Valadão, amigo é aquele que diz a verdade.

TREM ARRASTA CARRO COM MULHER E BEBÊ NO RIO - LIVRAMENTO DE DEUS -

Eu acordei cedo essa manhã, me sentindo meio angustiada por causa de um sonho... Sonhei que estava num lugar e via um homem que eu não conhecia, em meu sonho ele estava chorando muito, dizendo que seu bebê e a esposa haviam morrido, eu saia na porta e via um corpinho de um bebê atravessado em cima de um parapeito (...)
Eu começava a chorar e abraçava o corpinho, para mim não estava morto ainda, eu dizia chorando, Senhor salve essa criança da morte (...). Depois eu segurava o bebê andando na rua, ele estava vivo!
Acordei meu esposo, contei o sonho a ele, e juntos oramos pelos bebês que conhecemos, filhos de amigos, e pelos bebês que pudessem está em perigo...
  Por volta das 13:00h tomei um susto ao ouvir a notícia de que dava conta de uma mãe e seu bebê que foram atingidas por um trem, quando o carro em que estavam apagou em cima da linha de Belford Roxo, no Rio( notícia abaixo).
                  TREM ARRASTA CARRO E FERE MULHER E BEBÊ

QUINTA FEIRA - 05/05/2011 as 09h25min      
 Segundo bombeiros, bebê nada sofreu e mãe teve ferimentos leves
 Carro é atingido por tremBrasil - A motorista que teve o carro atingido por um trem do ramal de Belford Roxo, numa passagem de nível perto da estação de Costa Barros, no subúrbio do Rio, na manhã desta quinta-feira (5), estava com um bebê de 1 ano dentro do carro. Segundo o Corpo de Bombeiros, a criança aparentemente não sofreu nada. A mulher teve ferimentos sem gravidade. Os dois foram levados para o Hospital Carlos Chagas, em Marechal Hermes, no subúrbio.


De acordo com nota da SuperVia, o acidente ocorreu às 7h14, com um trem que seguia para a Central do Brasil. Segundo a empresa, o trem foi atingido pelo carro quando passava pela passagem de nível. Nenhum passageiro do trem ficou ferido.