sexta-feira, 27 de agosto de 2010

A GUERRA DE CANUDOS NA BAHIA

A Guerra de Canudos (1896-1897)

Provavelmente se o quadro político brasileiro dos primeiros anos de República não fosse tão conturbado talvez os episódios de Canudos tivessem outro desenlace. Mas a notícia de que tropas regulares haviam sido desbaratadas pêlos fiéis do Conselheiro fez com que as autoridades e a própria população dos grandes centros urbanos, particularmente do Rio de Janeiro, visse naquilo a mão ardilosa dos monarquistas.

Se por um lado era evidente que o Conselheiro pregava contra a república, estimulando a que não se lhe pagassem tributos e até espantasse os funcionários que representavam a justiça e o casamento civil, não pode-se negar seu conteúdo religioso. Canudos assemelha-se às incontáveis rebeliões religiosas, lideradas por fanáticos, chamados de profetas, que se dizem enviados ou mensageiros dos céus. Reúnem ao seu redor um bando de crentes aos quais é assegurada não só a salvação como muitas vezes a imortalidade.
Repudiam o mundo ao seu redor, denunciado como corrupto e de estar a serviço das forças demoníacas. Só os justos se salvarão. Só aqueles que se dedicam inteiramente as rezas e a comunidade dos crentes serão os eleitos. Seu comportamento erradio e agressivo para com os outros e seu fanatismo militante faz com que se indisponham com o resto da sociedade. Os atritos daí decorrentes, fazem com que a polícia ou a milícia termine por se envolver com eles. As tentativas de apaziguamento fracassam. Eles resistem a qualquer de dispersar. Ao contrário, a presença das autoridades faz com que se aglutinem com maior fervor em torno do profeta. Armam-se. O profeta lhes assegura que caso morram na defesa da Nova Jerusalém, Jesus lhes garantirá a vida por mais mil anos ainda.
Antônio Conselheiro e Nova Jerusalém
Antônio Conselheiro já era uma figura bastante conhecida nos sertões nordestinos desde a década de 1870. Era caixeiro de loja e graças a uma infelicidade pessoal - foi abandonado pela mulher - partiu para uma vida de eremita, cruzando o sertão de cima a baixo. Por onde andava procurava consertar os cemitérios e melhorar as igrejas. A fama das suas prédicas começou a se espalhar e gente miserável começou a segui-lo. Sua aparência assemelhava-se aos profetas bíblicos, com uma vasta cabeleira que lhe caia pelos ombros e vestido com um brim comprido que lhe chegava aos pés e um cajado nas mãos. Parecia um personagem saído diretamente das Velhas Escrituras.
Hostilizado pela maioria dos padres do interior que não lhe suportavam a concorrência e a crescente popularidade, o Conselheiro resolveu, em 1893, isolar-se em Canudos, um lugarejo paupérrimo, nas margens do rio Vasa-barris, no sertão baiano. Rebatizou-a de Monte Santo. Em pouco tempo um fluxo constante de romeiros para lá se dirigiu. O Conselheiro rejeitava a república. Considerava-a coisa satânica por ter instituído o casamento civil. Como a Igreja Católica acomodou-se com a nova ordem, coube a ele liderar a rebeldia. Tratava-se de constituir um outra sociedade, onde os princípios dogmáticos da religião seriam estritamente obedecidos. Não se bebia em Canudos, e o maior delito era não comparecer as rezas coletivas. Também serviu de abrigo a marginais e bandidos que lá procuravam refúgio e de onde saíam para novos barbarismos.
Em pouco tempo o Conselheiro formou uma espécie de pequeno estado dentro do estado. As autoridades fizeram então uma frente. Coronéis assustados com a fuga de mão de obra e com os surgimento de uma outra liderança aproximaram-se da igreja que via nele um herético. Um desentendimento com um lugarejo vizinho foi o pretexto que as autoridades aguardavam para mandar intervir militarmente. No início de novembro de 1896 uma força de 100 praças, sob o comando do Ten. Manuel Ferreira, foi enviada para Juazeiro e depois para Uauá onde é destroçada pelo ataque dos jagunços em 21 de novembro.
Foram necessárias mais três expedições militares, a última com quase 5 mil homens e artilharia para submeter a "Tróia de taipa". A população lutou até o fim. Umas 300 mulheres, velhos e crianças se renderam. Os homens sobreviventes foram degolados e os que resistiram até o fim foram baionetados numa luta corpo-a-corpo que se travou dentro do arraial, no dia do assalto final, em 5 de outubro de 1897. Antônio Conselheiro, morto em 22 de setembro, teve seu corpo exumado e sua cabeça decepada para estudos frenológicos. O Gen. Artur Oscar determinou que os 5.200 casebres fossem pulverizados a dinamite. E assim, onze meses depois do entrevero de Uauá, terminou Canudos.
 os sertões
4ª Campanha
16 de junho a 5 de outubro de 1897 Expedição comandada pelo Ge. Artur Oscar, dividida em duas colunas (gen. João Barbosa e Amaral Savaget), uma com 1.933 homens e a outra com 2.350. Combate de Cocorobó. Duas colunas chegam a Canudos.
Assalto ao arraial: 947 baixas. Chegam reforços de 2 brigadas da Bahia. Bombardeio sobre Canudos. Combate de Coxomongo. Morre Antônio Conselheiro no dia 22. No dia 24 de setembro Canudos encontra-se sitiada. Assalto final em 1º de outubro: 567 baixas. 300 prisioneiros (mulheres, velhos e crianças), dia 5 morrem os 4 últimos resistentes. As 5.200 casas são dinamitadas. Nenhum outro episódio da história nacional até então ocorrido (Inconfidência mineira, independência, Revolta dos Cabanos, a Sabinada, a Praieira, a Revolução Farroupilha, etc...) gerou um relato literário e épico da dimensão de "Os Sertões" de Euclides da Cunha, publicado em 1902. Euclides havia sido enviado em setembro de 1897 para cobrir pelo jornal "O Estado de São Paulo" os acontecimentos de Canudos. Lá chegando resolveu torná-lo tema de um livro. Sua idéia era inserir aquele conflito nos fins de mundo do Brasil no cenário dos grandes enfrentamentos históricos. Numa luta titânica de raças, num combate entre o progresso e o atraso. Percebeu o conflito primeiramente como uma Vendéia ("a nossa Vendéia"), aquela rebelião reacionária - de padres, nobres e camponeses católicos - que eclodiu na Bretanha em 1793, contra o governo republicano-jacobino durante a Revolução Francesa.
Mas viu também a oportunidade de estudar e conhecer o Brasil. Concentrou sua atenção em revelar o conflito entre o litoral brasileiro, urbano, pré-industrial, semi-capitalista, europeizado, predominantemente branco e racionalista, contra o sertão mestiço, povoado por uma sub-raça miserável e sujeita - devido as inclemências do clima - às influências do fanatismo religioso, vivendo num universo místico e enfeitiçado por superstições atávicas, crentes em milagres e em espantosos taumaturgos, Euclides achava que a campanha contra Canudos simbolizava de certa forma a tentativa de civilizar o sertão ainda que fosse "a pranchaços".
Na primeira parte do livro - a Terra - ele procura descrever o cenário geográfico em que surge o sertanejo. Faz uma erudita exposição dos elementos geo-climáticos que compõe o sertão. Profundamente influenciado pelo historiador positivista Hippolyte Taine (1828-1893), que propunha uma abordagem do comportamento humano condicionado pela raça, pelo meio e pelas circunstâncias (la race, le milieu et le moment), Euclides acredita - na sua segunda parte, dedicada ao Homem - que a intensa miscigenação é a principal responsável pelo atraso e pelo fanatismo do sertanejo, na medida em que termina por produzir uma sub-raça. Mas mesmo assim ele não poupa louvores a bravura da gente do sertão em conseguir sobreviver numa região tão inóspita, flagelada pela fome e pela seca - "o sertanejo antes de tudo é um forte!"
Ele tentou olhar o sertão e seus habitantes com as lunetas de um cientista mas recorreu a um estilo dramático para exprimir sua emoção. Euclides é o nosso Homero. Realizou o grande épico nacional. Mas não é popular como Homero o foi. E a razão é de que ele não dirigiu-se ao povo, mas sim as elites. Seu livro aos poucos vai tomando a forma de uma denúncia. Do absurdo da guerra ("Além disso a guerra é uma coisa monstruosa e ilógica em tudo") em si até indignar-se com os barbarismos cometidos pelas tropas contra aqueles pobres-diabos ("Ademais entalhava-se o cerne da nacionalidade. Atacava-se a fundo a rocha viva da nossa raça. Vinha de molde a dinamite. Era uma consagração").
Seu objetivo era apelar às elites brasileiras para que tivessem uma compreensão melhor dos sertanejos. Ao descrever seu espaço e seus costumes,. ao relatar suas dificuldades e seu infeliz destino biológico, ele espera atenuar o preconceito contra os bárbaros interioranos, isolados do mundo a trezentos anos. Da mesma maneira que Cesare Lombroso (1836-1909) encontrara nos traços fisionômicos dos marginais os sinais de delinqüência e de degenerescência moral, Euclides, ao descrever o sertanejo como resultado da seca, do solo áspero e esturrado, da fome endêmica e da excessiva miscigenação, queria demonstrar que o resultado final não poderia ser outro.

PADRE SE CONVERTE E GERA POLÊMICA EM CAJAZEIRAS PB

A cidade de Sousa PB viveu um reboliço com a notícia, que tomou conta das principais rádios da cidade, dando conta de que um padre havia se tornado evangélico. Trata-se do ex-padre Lourival, ele que reside no Núcleo II e exercia o sacerdócio há quase 10 anos, ao longo desse período ele foi o pároco das cidade de Aguiar/PB, Igaraci/PB, Diamante/PB, Boa Ventura/PB, Curral Velho/PB e Belém do Brejo do Cruz/PB, tendo visitas marcantes em igrejas de outras cidades, e, ainda era auxiliar nas igrejas de Sousa e Cajazeiras.

Ocorre que o mesmo, estudando a Palavra de Deus - a Bíblia Sagrada - percebeu, quando ainda exercia o sacerdócio na cidade de Diamente/PB em 2003 que estava ensinando uma doutrina que contraria a Bíblia Sagrada e, naquela cidade, começou a ensinar às pessoas que a Bíblia reprova a adoração às imagens de escultura (Sabedoria 15.15-18 - livro apócrifo; Êxodo 20.4,5; Isaías 45.20; Deuteronômio 4.15-19; ) e que o único Salvador é Jesus Cristo (João 4.23; Atos 4.12; I Timóteo 2.5) e nãos as tradições das igrejas. E prosseguiu ensinando que a Bíblia é o caminho para conduzir as pessoas a fazerem a vontade de Deus e se aproximarem de Deus (Tiago 4.8), devendo servi-lo de toda alma e de todo o coração (Marcos 12.30-33) e não apenas com obras de caridade, visto que a salvação é obtida pela graça de Deus, por meio da fé, sendo um dom de Deus e não vem das obras (caridades e coisas semelhantes) para que ninguém se glorie (Efésios 2.8,9).
Após, as reiteradas leituras da Bíblia integralmente o ex-padre Lourival passou a sentir forte desejo de ser evangélico e congregar numa igreja onde se adorasse a Deus verdadeiramente, onde os verdadeiros adoradores adoram ao Pai em espírito e em verdade (João 4.23). Baseado em João 8.32 (E conhecereis a verdade e a verdade - Jesus - vos libertará) e em João 8.36 (Se, pois, o Filho vos libertar verdadeiramente sereis livres).
Havia mais de um ano que o ex-padre era ouvinte cativo dos Programas radiofônicos da AD-Sousa, levados ao ar pela Rádio Progresso de Sousa - AM 610, das 21 as 22 horas, de segunda a sexta-feira. O que chamava a atenção dele é que em tais programas nunca se falava contra a Igreja Católica, apenas se pregava a Palavra de Deus, e o genuíno e verdadeiro Evangelho de Jesus Cristo e, aos poucos ele foi entendendo que Deus o queria na Assembleia de Deus, congregando com os irmãos da AD-Sousa.
E na última quarta-feira, dia 28/abril/2010, o ex-padre compareceu à Igreja Católica do Núcleo II, onde ele celebrava missas, para se despedir das pessoas e dizer em público que não mais seria celebraria missas, nem seria mais sacerdote, pois estaria assumindo Jesus como único salvador e governador de sua vida.
Na quarta-feira (2804/2010), às 19 horas, ao chegar na Igreja Católica, que estava lotada, ele pediu para abrirem a Bíblia em I Timóteo 2.5, onde diz que "há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem" e disse: "Na Primeira Carta de Timóteo, capítulo 2 e versículo 5, está escrito que só há um Mediador entre Deus e os homens - Jesus Cristo, e a partir de hoje eu tomei a decisão de não mais ser católico e nem sacerdote e a partir de hoje eu sou evangélico da Igreja Assembleia de Deus". As pessoas escandalizadas não acreditavam no que ouviam, uns choravam, outros diziam que o padre estava louco/doido, outros choravam... os parentes, pais e irmãos e irmãs tomaram um choque muito grande e estão chateados e escandalizados, inclusive uma sobrinha do mesmo disse que estava com raiva do mesmo e ele simplesmente disse que a perdova, pois Deus é amor e nele havia agora o verdadeiro amor de Deus em seu coração.
Muito enfático, o ex-padre disse que nem de longe passou pela cabeça de titubear, embora estivesse vendo muita gente chorando na igreja e muitos escandalizados, mas eles estava convicto da decisão de aceitar a Jesus como Salvador, pois a Bíblia diz que "quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e o quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim" (Mateus 10.37) (...)
Fonte: Sertão Gospel
LEIA A REPORTAGEM NA ÍNTEGRA

A MAIORIA DAS PESSOAS NÃO ENTENDE O SACRIFÍCIO DE JESUS CRISTO


O fato é que a maioria das pessoas não entende o sacrifício de Jesus Cristo, uns o vêem como um louco, outros acham que é apenas um mito, há ainda aqueles que se alegra vendo cenas de seu sofrimento (os masoquistas). Alguns se limitam a ignorá-lo. Podemos ter muitas reações diante d`Ele. NADA muda o fato de que Ele é o quem disse que era... O impossível é conhecê-lo e não amá-lo...

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

O FIM DAS FAMÍLIAS TRAZ UMA COLHEITA TERRÍVEL

Pai mata os dois filhos e comete suicídio em Jaú / SP
Vendedor sedou crianças com sonífero em quarto de hotel antes de praticar crime Reinaldo Chaves - Agência BOM DIA
O vendedor Edson Muniz Barreto, 34 anos, matou a facadas os dois filhos, Nathan Gabriel Barreto, 9, e Ana Beatriz Barreto, 5, em um quarto de hotel em Jaú (51 km distante de Bauru) no início da noite de sábado e depois cometeu suicídio.Edson hospedou-se em um hotel no dia 20, quarta-feira, juntamente com os dois filhos. Conforme a recepção do hotel informou, ele pagou adiantado a hospedagem até domingo, dia 24.Ele é separado há um ano da professora Fabiana de Oliveira Alves, 30, que mora em Bocaina (73 km de Bauru, ao lado de Jaú). Segundo o boletim de ocorrência do caso, Edson ligou para a ex-mulher na quarta-feira e pediu para ficar alguns dias com os filhos, pois havia chegado de uma viagem de vendas.O crime bárbaro foi praticado com um punhal. A crianças foram sedadas com sonífero antes de serem mortas.
Crime foi premeditado
Segundo a Polícia Civil, Edson Muniz Barreto cometeu o crime com premeditação. No quarto 441 foram encontrados em uma bancada próxima da cama o punhal do crime, comprimidos de calmantes e uma carta que tentava explicar as mortes.O delegado do caso, Claudemir Ferracini, conta que Edson não aceitava a separação, pelo que descobriu no teor da carta e nos depoimentos colhidos neste domingo. A guarda de seus filhos estava com a mãe. Ela declarou à Polícia Civil que na sexta-feira havia ligado para o hotel para falar com os filhos, mas o ex-marido disse que estavam dormindo. Os policiais militares e a recepção do hotel contaram que no quarto das crianças havia vários brinquedos récem-comprados. Durante a semana eles passearam com o pai na Estância Turística de Barra Bonita.         
Outro item que mostra a frieza dos assassinatos é a forma como a mãe ficou sabendo das mortes dos filhos. Edson Muniz Barreto contratou um motoboy para entregar um envelope para a ex-mulher no sábado, por volta das 21h.Segundo a Polícia Civil, o envelope continha apenas uma carta assinada com a mensagem: "Fiz um depósito na sua conta para providenciar os velórios". Muito preocupada, ela ligou para o hotel.
A recepcionista do estabelecimento então abriu a porta do quarto e encontrou os três ensaguentados.A Polícia Militar foi chamada e afirma que as crianças já estavam mortas e cobertas com lençóis. Edson estava agonizando ao lado da cama com um grande ferimento no peito e morreu minutos depois. Edson e Fabiana se conheceram em Bocaina (11 mil habitantes) e depois de casados foram morar em Camboriú (SC). Há dois anos eles retornaram para Bocaina, quando um ano depois houve a separação. Fabiana, em estado de choque, não quis falar no velório, em Bocaina, neste domingo. Sua irmã, Conceição Aparecida Alves, 46, contou que Edson nunca aceitou a separação. "Ele já ameaçou ela, mas nunca as crianças. Foi uma tragédia horrível", disse. Nathan e Ana foram enterrados em Bocaina, e Edson em Pirajuí, onde nasceu.

               PAI MATA O PRÓPRIO FILHO DE 1 ANO E 3 MESES EM SURUBIM

A Polícia Civil de Vertentes prendeu nesta terça-feira (17) o ex-presidiário Anderson da Silva Ribeiro, 20 anos. Ele é acusado de matar o próprio filho de 1 ano e 3 meses, na última quinta-feira (12).
O crime aconteceu no Distrito de Lagoa da Vaca, zona rural do município de Surubim, PE. De acordo com a delegada Soraia Souto de Arruda, o criminoso jogou a cabeça da criança contra o chão e enterrou o corpo da vítima no quintal da própria casa. Ainda de acordo com a delegada, Anderson Ribeiro teria cometido o crime por não aceitar a separação com a mãe da criança.
O corpo Wesley Davi foi encaminhado ao IML do Recife e todos os detalhes do crime, que chocou a população de Surubim, no programa “A Hora da Justiça” desta quarta-feira, partir das 6h, sob o comando de Ivan Bulhões e Adielson Galvão.
Central de Jornalismo
Helenivaldo Pereira

    FILHO MATA PAI COM PAULADA NA CABEÇA EM ITABELA 28/01/2010
Mário Bitencourt Sucursal Eunápolis*
Um idoso morreu na manhã desta quinta-feira, 28, em Itabela, no Extremo Sul da Bahia, após receber uma paulada na cabeça desferida pelo próprio filho, Josequias Conceição dos Santos, 28 anos. O crime aconteceu nesta quarta à tarde, mas José Jesus dos Santos, 78 anos, foi levado para o Hospital Frei Ricardo, onde morreu nesta manhã.
De acordo com o outro filho da vítima, Isaías, o irmão, que ele diz ser usuário de drogas, queria vender umas portas e o pai não deixou, o que motivou a briga. Isaías contou que Josequias era nervoso, ameaçava e batia no pai com frequência.
O rapaz se entregou à polícia nesta manhã e está preso na delegacia de Itabela.

*Com redação de Paula Pitta
A TARDE ON Line

terça-feira, 10 de agosto de 2010

1 EM CADA 6 PESSOAS PASSAM FOME NO MUNDO

Renata Giraldi, AGÊNCIA BRASIL 03/08/2010 16:48 - Brasília 
Organização das Nações para Agricultura e Alimentação (FAO) quer ampliar o apoio à campanha mundial de erradicação da fome. A petição que propõe um esforço coletivo já reuniu 251 mil assinaturas eletrônicas.
As informações são da FAO. Porém, especialistas informam que se o mundo mantiver o atual ritmo, essa meta só será alcançada em 2150. A campanha de erradicação da fome tem como símbolo um ícone da campanha representando um alerta. Banners para incentivar as pessoas a assinar a petição foram traduzidos para 13 idiomas.
"A bola está rolando agora e estamos em um bom caminho para atingir a meta de 1 milhão de assinaturas até o final de novembro", disse o diretor-geral da FAO, Jacques Diouf. "Encorajo todos para que assinem a petição online para mostrar solidariedade com 1 bilhão de famintos." Diouf disse que a petição deve ser assinada por quem "considera inaceitável o fato de haver cerca de 1 bilhão de pessoas cronicamente famintas". Para estimular o apoio, foi elaborado um vídeo promocional, de um minuto, com o ator inglês Jeremy Irons. Ele pede que as pessoas reajam e pressionem as autoridades a adotar ações para acabar com a fome no mundo. Paralelamente, a FAO incentiva a adesão à campanha por meio das redes sociais na internet.
            FAO: UMA EM CADA 6 PESSOAS PASSAM FOME NO MUNDO
19 de junho de 2009 - O número de pessoas passando fome no mundo ultrapassou a marca de 1 bilhão, advertiu hoje, em Roma, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO). De acordo com a entidade, a população mundial de pessoas famintas aumentou em quase 100 milhões desde o ano passado, alcançando 1,02 bilhão. Isso significa que um em cada seis seres humanos passa fome atualmente.
A FAO atribuiu o aumento no número de famintos a uma combinação da crise financeira internacional com a persistente elevação dos preços dos alimentos. Ao anunciar o dado, o diretor-geral da entidade, Jacques Diouf, advertiu que a crise alimentar "representa um grave risco para a paz e a segurança no mundo".
Em relatório divulgado hoje em Roma, a FAO observa que quase toda a população de pessoas subnutridas vive atualmente nos países em desenvolvimento. De acordo com as estimativas da entidade, desses mais de 1 bilhão de famintos, 642 milhões vivem na região da Ásia e do Pacífico e 265 milhões na África subsaariana.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

POLÍCIA APURA EXISTÊNCIA DE GRUPO QUE MATA MENDIGO EM AL

A Polícia Civil de Alagoas investiga a existência de um grupo de extermínio de moradores de rua em Maceió (AL). Desde janeiro, foram registrados 14 assassinatos de janeiro a julho 2010 e uma tentativa de homicídio.
Entre as vítimas está uma adolescente de 17 anos, grávida de sete meses.
LIMPEZA
O delegado geral adjunto José Edson de Freitas Júnior considerou o número “alarmante”. À Folha de S. Paulo, disse que apura se no grupo há “justiceiros que queriam limpar’’ a capital alagoana.
O Ministério Público do Estado, em seu site oficial, também fala na possibilidade “da existência de uma quadrilha especializada em ‘limpar a cidade’”.
O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas, Gilberto Irineu, também acredita que há um grupo organizado “de vigilantes a serviço do empresariado’’.
A Associação Comercial de Maceió não foi localizada para falar do caso. Alguns corpos foram enterrados como indigentes devido ao não comparecimento de familiares. (AE)
Intelectuais e pensadores do século XX prometeram aos mundo que no século XXI reinaria a segurança, paz, respeito e justiça social...  agora fala~se em objetivos do milênio, sem Deus não haverá esperança d eum futuro melhor!
O ser humano desrespeita os princípios de Deus a cada dia, pensando ser livre torna-se escravo do pecado, isso só piora em nossa em nossa sociedade. Já reparou que no shopping não tem mendigos, claro que não, os seguranças não os deixa entrar, agora eles também não podem ficar nas ruas... serão assassinados.
Se os princípios da palavra de Deus fossem respeitados, não teríamos que ler centenas de notícias semelhantes e essa.
Eu Sou o SENHOR, o teu Deus...
Não terás outros deuses além de mim
Não farás para ti nenhum ídolo
Não tomarás em vão o nome do SENHOR, o teu Deus
Lembra-te do dia de sábado, para santificá-lo
Honra teu pai e tua mãe
Não matarás
Não adulterarás
Não furtarás
Não darás falso testemunho contra o teu próximo
Não cobiçarás (a mulher do teu próximo)
Não cobiçarás (nada do que pertença a teu próximo)

Você pode viver sem jesus, morrer sem ele é que é  o problema.